Curiosidades

Página

As bactérias que fazem bem

Usando um novo sequenciamento genético, cientistas do Instituto Wellcome Sanger, no Reino Unido, trouxeram informações inéditas sobre a evolução, colonização e transmissão de bactérias intestinais que permitirão o desenvolvimento de terapias para tratar a nossa saúde. Também pode informar o desenvolvimento de terapias baseadas em microbioma, onde bactérias-chave podem ser selecionadas para tratar diferentes doenças associadas ao intestino.

Mais vegetais, menos riscos cardíacos

Ter uma dieta rica em alimentos de origem vegetal durante a juventude, idade adulta e em mulheres na pós-menopausa pode diminuir o menor risco de doenças cardiovasculares. É o que revela artigo publicado no jornal da American Heart Association. Frutas, legumes, verduras, óleos vegetais, além de grãos integrais, aves e peixes sem pele, são recomendadas por Yuni Choi, PhD em Nutrição e principal autora do estudo, realizado na Escola de Saúde Pública da Universidade de Minnesota (EUA).

Castigo não resolve mesmo!?

Estudos da Universidade do Texas, em Austin (EUA) revelam que o castigo físico realmente não é eficaz para corrigir problemas de comportamento infantil, independente do sexo, raça ou etnia. Ao contrário, prejudica o desenvolvimento e bem-estar dos pequenos. Hoje, segundo a pesquisa, 63% das crianças entre dois e quatro anos no mundo, são submetidas a castigos físicos por parte dos seus responsáveis. A informação foi publicada na revista científica The Lancet.  

Quanto mais passos, mais vida...

A conclusão é de trabalho apresentado no seminário virtual Lifestyle and Cardiometabolic da  série Epidemiology and Prevention, da American Heart Association. Caminhar é a prática mais fácil e barata de exercício moderado para a qualidade de vida: basta um par de tênis e uma roupa confortável. Quanto mais passos por dia, mais efeitos positivos na qualidade do sono, saúde cardiovascular e mental, reforçam os estudiosos.   

Página

ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS: